quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

CORDEL DO FOGO ENCANTADO NA BIENAL DA UNE!


Os shows do primeiro dia de atividades da 6º Bienal de Arte, Ciência e Cultura da UNE arrastou uma multidão para o Largo do Pelourinho ontem à noite e encerrou o primeiro dia de atividades da Bienal no melhor estilo: gente de todos os cantos do país em um mesmo espaço como um gigante coletivo.

As ruas do Pelourinho foram invadidas pelos participantes da Bienal da UNE depois de seguir o Trio Elétrico de Armandinho, Dodô e Osmar até a Praça Castro Alves. E tudo isso sem perder o fôlego, porque foi só a banda O Quadro pisar no palco armado em frente à Fundação Casa de Jorge Amado para a festa recomeçar.

Encerrando a noite de abertura da 6º Bienal da UNE, o palco recebeu o Cordel do Fogo Encantado que agitou estudantes de todo o país e também a comunidadede Salvador com um show cheio de luzes, sons e poesia.

Ninguém arredou o pé da ladeira do “pelô” até que a banda tocasse a última música, altas horas da madrugada. E antes de pegar o ônibus e partir para um outro canto do Brasil, o CUCA falou com o vocalista da banda, Lirinha.

Confira a conversa:

CUCA- O Cordel do Fogo Encantado abriu a mostra convidada de música da 6º Bienal da UNE e encerrou a noite da abertura oficial da atividade. Como foi a recepção da galera que se aglomerou no Largo do Pelourinho para curtir o som do Cordel?

LIRINHA- É sempre muito bom tocar em Salvador, ainda mais em um show aberto e popular como a Bienal da UNE proporcionou. A energia que vem da juventude alimenta a ação da banda porque a sintonia é grande.O desejo de revolucionar, lutar, de fazer mudar... a juventude da UNE representa isso. Por isso é um prazer coletivo tocar pra essa galera.

CUCA- O Instituto CUCA da UNE é um espaço e um movimento que promove ações artísticas e culturais e é também um movimento político que ergue bandeiras como a livre circulação dos bens simbólicos e culturais. Como o Cordel encara a questão da circulação livre no caso de downloauds gratuítos de músicas pela internet?

LIRINHA- O Cordel é a favor da livre circulação da cultura brasileira, por isso nós circulamos bastante por ai. Em nosso site, nossas músicas estão disponíveis para downloaud gratuítos. A nossa ação é circular por todo Brasil e disponibilizar nossas músicas pelo site.

CUCA- A Bienal da UNE é o produto dos trabalhos e ações do Instituto CUCA da UNE que é hoje Pontão de Cultura do Ministério da Cultura. O Cordel tem alguma ação ou intenção de expandir seu projeto para uma ação extensiva e contínua que possa ser comparada com a experiência dos
Pontos de Cultura?

LIRINHA- Nós somos uma banda que produz música brasileira em sua essência mais profunda, misturando ritmos, batuques, vivências, experiências. Consideramos isso uma ação social e cultural, na busca da nossa identidade brasileira. Acreditamos no projeto dos pontos de cultura do MinC e conheçemos muitos, tocamos com eles. Só que a gente não trabalha nesse sentido. Nossa contribuição é nossa circulação viva, efetiva, fisíca, presencial. A cada dia tocamos em um canto diferente desse país e assim fazemos a nossa circulação. A UNE nesse sentido tá muito avançada porque se preocupa e cuida de questões relativas a políticas públicas, o que é essencial para que novos músicos e artistas possam tocar também, realizar seu trabalho, como nós hoje. Por isso consideramos o programa de Pontos de Cultura extremamente importante e estamos muito contentes e satisfeitos de fazer parte dessa Bienal.

Núcleo de Comunicação CUCA da UNE

2 comentários:

Laurinha disse...

O show foi, por si só, de grande valia. A abertura foi mais que espetacular, com esse bando de cordelistas talentosos, que levantaram o público, nos declínios da ladeira do Largo do Pelourinho.
Viva Cordel, e viva a 6ª Bienal de Cultura e Arte da UNE!

BlogHuss disse...

MÒÓoooo!
o Show foi muito massa. Conheci Cordel do Fogo Encantado num programa da Cultura, desde então virei fã.

A apresentação do vocalista mistura interpretação e performance, muito perfeito


A galera vibrava com o lance naturebá, com o valorizar da terra sua terra a terra onde vivemos

Eles tem garro foRRRRRRte, chega junto da galera e diz com clareza a intenções brasileiras

Conheci o Pelourinho com o pessoal do Cordel, e olha, foi um momentos "encantado"