terça-feira, 20 de janeiro de 2009

ABERTURA OFICIAL DA 6º BIENAL DA UNE

É chegado o momento.

Entre baianas, capoeiras, mães de santo e no batuque do afoxé, o público da 6º Bienal de Arte, Ciência e Cultura da UNE será recebido esta noite, as 19h, no histórico Teatro Castro Alves em Salvador com um espetáculo cheio de surpresas, homenagens, música, vídeos, dança, teatro, poesia e brasileiros. Muitos brasileiros.

Vindos de todos os cantos do país, o público da bienal será envolvido em um clima de festa popular na rua. Em frente ao teatro Castro Alves um coletivo de artistas e técnicos unidos especialmente para construir com a comunhão de diversos sotaques, vivências e culturas um belíssimo espetáculo e pretendem fazer todos se pergutarem: “TUPI or not TUPI?” (Manifesto Antropofágico, Oswald de Andrade, 1928).

Depois da recepção em frente e no foyer, todos serão convidados a se acomodarem nas poltronas do teatro para a continuidade da celebração.

O momento mais emocionante da noite promete ser a homenagem oferecida pela presidente da UNE, Lúcia Stumpf a Honestino Guimarães, presidente da UNE em 1979, “desaparecido” e morto durante os anos de chumbo da ditadura no Brasil.

Após a homenagem, uma mesa de autoridades nacionais será chamada ao palco para decorrer sobre o tema da bienal de 2009 RAÍZES DO BRASIL- Formação e sentido do Povo brasileiro. Os convidados são o presidente da FUNARTE, Sérgio Mamberti que vem ate Salvador representando o Ministro da Cultura Juca Ferreira, o ex-presidente da UNE, Aldo Arantes, Tarso Genro do Ministério da Justiça, o governador da Bahia, Jacques Wagner e a presidente da União Nacional dos Estudantes.

Encerrada a solenidade oficial, a festa que vai abrir os trabalhos da 6º Bienal da UNE ganha novamente as ruas de Salvador guiada pela Bateria Alcalina até o Trio Elétrico de Dodo e Osmar que assumem o comando do cortejo até a Praça Castro Alves “que é do povo como o céu é do condor”, ressaltou Alexandre Santini, coordenador nacional do Instituto CUCA da UNE usando as palavras do jovem patrono do teatro.

A noite de abertura se encerra no Largo do Pelourinho, no coração da cidade embalada pelo som da banda O Quadro e do Cordel do Fogo Encantado.

Encantada será esta noite!

Sejam bem-vindos a 6º Bienal de Arte, Ciência e Cultura da UNE!!!

Núcleo de Comunicação CUCA da UNE

2 comentários:

Laurinha disse...

E o que dizer do protesto feito por um dos espectadores, acerca da controvérsia que é a presidente da UNE: uma ótima oratória, mas certamente não se encaixa no perfil que é característico dos antigos presidentes da UNE. Realmente, fica fácil falar de assuntos bastante discutidos, mas será que não é preciso vivenciar realmente as dificuldades, a fim de tomar uma posição global sobre a causa estudantil? Fica aí a discussão.

Simone Ruda disse...

Laurinha,

Apoiada!!! É uma necessidade urgente ter pessoas com a intenção genuína em ser porta voz dos estudantes, sem isso veremos sempre muitos discursos políticos e poucas atitudes.
Abraços